Mini-Jardim de Flores Comestíveis está à venda na Loja do Jardim - Clique Aqui

 

Como cultivar suas próprias

flores comestíveis

 


O Mini-Jardim de Flores Comestíveis permite o cultivo de 8 espécies

 

Flores comestíveis podem e devem ser adquiridas de produtores especializados, que não utilizam qualquer tipo de agrotóxico ou tratamento químico em seu cultivo. Mas a melhor e mais segura forma de ter flores comestíveis é cultivá-las em casa. Além do prazer de plantar suas próprias flores, você vai ter certeza de estar consumindo um produto puro e livre de produtos químicos!

 

E a boa notícia é que agora é possível cultivá-las mesmo em pequenos espaços, até mesmo na sacada ou varanda do apartamento! O Jardim de Flores acaba de lançar o Mini Jardim de Flores Comestíveis – um kit super prático que permite o cultivo de 8 tipos diferentes de plantas comestíveis, de forma organizada e prática, ocupando pouco espaço. Com ele é possível cultivar as flores em qualquer cantinho do quintal, na varanda, numa sacada, na sala, na cozinha e até na área de serviço! A única exigência é que o local escolhido receba pelo menos de 3 a 4 horas de sol por dia.

 

O Mini Jardim de Flores Comestíveis contém:
01 suporte plástico na cor verde
08 vasos plásticos nº1 na cor verde
08 envelopes de sementes de flores comestíveis (veja as espécies abaixo)
01 folheto explicativo

 

Veja como é fácil plantar:

 

1. Prepare uma mistura (substrato) juntando em partes iguais:
* 1 parte de terra vegetal
* 1 parte de composto orgânico (húmus de minhoca)
* 1 parte de areia
Se preferir, utilize uma mistura pronta, facilmente encontrada no mercado (ex. Biomix)

2. Coloque a mistura de solo em cada vasinho, sem encher demais e sem apertar. Antes de colocar a mistura, se desejar facilitar a drenagem na hora da rega, forre o fundo de cada vaso com um pedaço de manta de drenagem (ex. bidim), também facilmente encontrada no mercado. Evite usar pedras ou cascalhos para não deixar o conjunto muito pesado.

3. Espalhe algumas sementes por cima e cubra com uma fina camada da mistura. Guarde as sementes restantes no próprio envelope, bem fechado.

4. Regue suavemente com um borrifador ou regador de crivo fino. Se colocar água demais, espere escorrer e encaixe os vasos no suporte.

 

Como Cuidar de seu Mini Jardim de Flores Comestíveis

 

* Procure, colocar seu Mini-Jardim de Flores Comestíveis num lugar onde haja a incidência de sol por pelo menos 3 horas diárias. Pode ser uma sacada, o parapeito de uma janela ou a área de serviço. O sol da manhã é o melhor para as plantas.

* Após a brotação, se houver muitas mudinhas, faça um desbaste, ou seja, retire algumas delas (as mais fracas) para que haja espaço para as outras se desenvolverem fortes e saudáveis.

* O tempo de germinação de cada planta varia (veja abaixo), bem como o tempo para floração. Use sempre as informações do envelope.

* A irrigação segue a regra básica: molhe as plantas diariamente, no início do dia ou no final da tarde. Importante: Procure não colocar muita água, para não deixar o vaso encharcado. Nunca use inseticidas ou produtos químicos nas plantas.

* Os principais inimigos que atacam as plantas são os fungos, pulgões e as cochonilhas.
Fungos podem ser evitados tomando cuidado para não exagerar nas regas. Muita umidade favorece seu surgimento. Já as cochonilhas e os pulgões são pequenos insetos que se alojam geralmente nas folhas e sugam a seiva da planta. As cochonilhas ainda liberam uma substância que deixa as folhas com aparência de enceradas, atraindo fungos e formigas.Eles podem ser combatidos com receitas naturais, como calda de fumo, chá de cavalinha e emulsão de óleo. Veja mais receitas naturais para combater pragas aqui em
Pragas: salve suas plantas!

* Adubações periódicas devem ser feitas com adubo orgânico.

 

Como utilizar as flores comestíveis

Nem sempre é possível consumir a flor inteira. Em alguns casos, o que é possível comer são as suas partes ou mesmo as inflorescências. Por exemplo, da couve-flor comemos a inflorescência inteira; da alcachofra comemos o receptáculo floral e as partes carnosas das brácteas e das rosas apenas a corola (ou as pétalas). No caso da calêndula, da cravina, da áster e da centáurea, é recomendável retirar o miolo e usar só as pétalas. Já a capuchinha comemos inteira, inclusive seus frutinhos que podem ser feitos em conserva, lembrando bastante o sabor das alcaparras.

 

As flores podem entrar como ingredientes nas receitas, mas a forma mais fácil de usar as flores e colocá-las nas saladas. E então lá vai novamente o alerta: muitas flores podem ser tóxicas ou mesmo venenosas, por isso só use flores na alimentação quando tiver certeza de que não tenham nenhuma parte tóxica. Os alérgicos a pólen também devem ficar atentos.

 

Preparando as flores:

 

1. Faça a colheita de preferência logo pela manhã ou no final da tarde. Evite os horários mais quentes do dia, pois o excesso de calor pode provocar ressecamento, perda de sabor e coloração.

 

2. Remova as partes não comestíveis de acordo com a exigência de cada espécie, como explicado nesta matéria.

 

3. Lave bem as flores em água não muito fria, evitando danificar as pétalas. Faça isso com delicadeza, pois as pétalas se danificam com facilidade. Para secar, ponha para escorrer em toalhas de papel.

 

4. Evite o calor excessivo na hora de acrescentá-las aos pratos, evitando a perda de nutrientes. Ou você pensa que as flores oferecem apenas beleza? Elas também são ricas em vitaminas A e C, além de minerais como ferro e potássio. E não se preocupe em afetar a dieta: 100g de pétalas fornecem, em média, 40 calorias.


Conheça as flores que compõem seu Mini Jardim de Flores Comestíveis

 

Goivos Dez Semanas Sortido Anão
Nome Científico: Matthiola incana; sin.: Cheiranthus incanus
Nomes Populares: Goivo
Outros nomes: Goivo anão
Família: Brassicaceae (Cruciferae)
Origem: Mediterrâneo
Ciclo de Vida: Anual/bienal
Germinação 7 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 150

As flores do goivo são perfumadas e se apresentam em várias tonalidades como branca, rosada ou amarela. O sabor é uma mistura exótica entre levemente picante e doce – há quem compare ao sabor do rabanete. Elas podem ser consumidas enfeitando saladas ou mesmo cristalizadas (veja receita abaixo), enfeitando sobremesas.

 

 

 

Amor-perfeito Crespo Sortido


Nome Científico: Viola tricolor
Nomes Populares: Amor-perfeito crespo, violeta-borboleta
Outros nomes: Pensamento
Família: Violaceae
Origem: Ásia e Europa
Ciclo de Vida: Perene
Germinação 7 a 21 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 150

Há quem diga que as flores do amor-perfeito são usadas na culinária mais por seu belo visual que pelo sabor. Eu discordo. Se for utilizada a flor inteira, incluindo as sépalas (aquela parte verdinha), dá para perceber bem o aroma e sabores suaves e silvestres. Quanto à versatilidade, é imensa! As flores podem decorar saladas e sobremesas, aromatizar o vinagre (usar o de vinho branco), decorar bebidas (coloque a flor flutuando na taça) e também dão ótimos resultados ao serem cristalizadas.

 

Capuchinha Anã Singela Sortida


Nome Científico: Tropaeolum majus
Nomes Populares: Capuchinha, nastúrcio
Outros nomes: Chagas, capuchinho
Família: Tropaeolaceae
Origem: América do Sul
Ciclo de Vida: Anual/bienal
Germinação 5 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 110

Também chamada de “chaguinha”, é uma das flores mais usadas na culinária. As folhas também podem e devem ser consumidas. Tanto as flores como as folhas têm sabor levemente picante, que lembra o do agrião. É rica em vitamina C e, segundo os especialistas, apresenta propriedades digestivas. A flor é rica em um carotenóide chamado “luteína” que, segundo pesquisas recentes, está relacionada com a prevenção de doenças como a catarata e a degeneração macular. As vistosas flores, que vão do tom amarelo ao alaranjado, começaram a ser usadas como alimento no Oriente. Também é interessante observar que os frutos da capuchinha lembram bastante as alcaparras.

 

Áster Pluma de Avestruz Sortida


Nome Científico: Callistephus chinensis, Áster chinensis
Nomes Populares: Áster, rainha-margarida
Outros nomes: Áster-da-China
Família: Compositae (Asteraceae)
Origem: China e Japão
Ciclo de Vida: Anual
Germinação 7 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 150

Ela já era cultivada na China há mais de 2 mil anos, tornou-se muito popular na Europa como flor ornamental e o mesmo ocorreu no Brasil. Mas suas pétalas, além de ornamentais são também comestíveis e podem acompanhar saladas (especialmente as cortadas bem fino, como repolho, acelga, etc), enfeitar arroz e até farofas tropicais. Com esta flor, vale a recomendação de retirar o miolo e consumir apenas as pétalas.

 

Calêndula Dobrada Sortida


Nome Científico: Calendula officinalis
Nomes Populares: Calêndula, mal-me-quer
Outros nomes: Maravilha-do-jardim
Família: Compositae (Asteraceae)
Origem: Ilhas Canárias e Mediterrâneo
Ciclo de Vida: Anual
Germinação 7 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 70

As flores da calêndula, que variam do amarelo ao laranja-escuro, são ricas em carotenóides e óleos essenciais. Trata-se de uma planta de amplo uso medicinal. As pétalas da calêndula podem dar um colorido especial às saladas e sobremesas ou ser misturadas com arroz, sopas, queijos e manteiga, como substitutas do açafrão. Por essa razão muita gente ainda conhece a calêndula como “açafrão dos pobres”. Lembrando que para consumir esta flor o miolo deve ser retirado na hora de comer.

 

 

Centáurea Cyanus Sortida


Nome Científico: Centaurea cyanus
Nomes Populares: Centáurea
Outros nomes: Botão de bacharel
Família: Compositae (Asteraceae)
Origem: Europa
Ciclo de Vida: Anual
Germinação 7 a 21 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 120

Em tempos antigos as flores azuis da centáurea eram usadas no preparo de um pigmento usado em aquarelas e na culinária. Hoje, o uso é restrito à culinária. O sabor das pétalas da centáurea fica entre o doce e o picante e lembram o cravo-da-índia bem suavizado. Uma recomendação importante: o cálice da flor não deve ser usado, pois é bem amargo.

 

 

 

Cravina Anã Singela Sortida


Nome Científico: Dianthus chinensis
Nomes Populares: Cravo-da-China
Outros nomes: Tapete persa
Família: Caryophyllaceae
Origem: Ásia e Europa
Ciclo de Vida: Perene
Germinação 7 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 120

A cravina tem um aroma bem característico, que lembra o cravo-da-índia como se fosse levemente adocicado. Em função do aroma especial, as pétalas sempre foram usadas para aromatizar açúcar, geléias, vinagre e até o vinho. Antes de usar as flores da cravina na culinária é recomendável retirar a basal das pétalas, que são bem amargas. As pétalas podem enfeitar saladas, sobremesas e depois de cristalizadas podem decorar bolos e tortas. Combinam também com patês e queijos cremosos.

 

Hesperis Matronalis Sortida


Nome Científico: Hesperis matronalis
Nomes Populares: Hespéris, violeta-das-damas
Outros nomes: Juliana-dos-jardins, mãe-da-noite
Família: Brassicaceae
Origem: Ásia e Europa
Ciclo de Vida: Perene/bienal
Germinação 7 a 14 dias
Ciclo até o início da floração (dias): 60

As flores de cores branca, lilás e roxa da hespéris são usadas há tempos na culinária e na medicina popular. Popularmente era indicada no tratamento da gota, cálculos, abscessos, afecções da pele e também como diurética, expectorante e sudorífera. O cataplasma das folhas eram usados para acelerar a maturação dos abscessos. Na culinária era utilizada para aromatizar leites, cremes, bebidas e sucos. Pode acompanhar saladas, legumes cozidos e decorar pratos à base de arroz.

 

Onde encontrar: Mini-Jardim de Flores Comestíveis está à venda na Loja do Jardim - Clique aqui!

 

 


© Todos os direitos reservados.                                            Contato   Vídeos     Sobre Nós                                                         Visite a Loja do Jardim